Dirigentes de Campinense e Treze se assustam com crise na FPF


Em 02/06/2017

 



Dirigentes de Campinense e Treze se assustam com crise na FPF

Caiu como uma bomba entre os clubes de Campina Grande a notícia de que o vice-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Nosman Barreiro, invadiu a sede da entidade e tentou tomar posse da presidência enquanto o presidente Amadeu Rodrigues está na França, cumprindo compromissos da FPF.

Ainda sem entender direito o que realmente aconteceu, os dirigentes de Campinense e Treze preferiram não emitir nenhuma opinião sobre o caso, mas disseram que surpresos com a crise no comando da entidade máxima do futebol paraibano.

Eu estou surpreso com essa informação. Não sei nem o que comentar. Vou tentar ver aqui o que realmente aconteceu, mas de antemão eu digo que estou bastante surpreso com o que aconteceu. Vamos buscar mais informações. Até agora, é tudo muito estranho para mim - comentou o presidente do Campinense, William Simões. O atual diretor de futebol e ex-presidente do Treze, Fábio Azevedo, partiu de uma linha parecida com a de William Simões. Segundo Fábio, como tudo ainda é muito recente, não é possível ter uma informação concreta sobre o que aconteceu em João Pessoa.

- Na verdade, eu não entendi muito bem o que aconteceu até agora. Vou tentar buscar informações com quem estiver no local e posteriormente o Treze vai se manifestar de forma oficial. Mas, confesso que fiquei surpreso com essa notícia - explicou o dirigente trezeano.

Entenda o caso Tudo começou por volta das 16h desta quinta-feira. O vice-presidente Nosman Barreiro chegou à entidade acompanhado de seu advogado e de alguns aliados, dizendo que iria tomar posse como novo presidente da FPF. A confusão, como não poderia ser diferente, foi generalizada. E os aliados do presidente Amadeu Rodrigues reagiram. De acordo com Nosman Barreiro, o presidente deveria ter lhe passado o cargo quando viajou para a França, para onde viajou como chefe da delegação da CBF no Torneio de Toulon, disputado pela Seleção Sub-20. Como isso não aconteceu, a entidade teria ficado acéfala, de forma que ele poderia requerer o cargo que tinha ficado vago. Amadeu, obviamente, discorda de seu vice. Diz que tudo não passa de mais uma tentativa de seu ex-aliado de assumir o poder à força e que tinha deixado com o seu diretor jurídico, Marcos Souto Maior Filho, uma procuração que lhe transmitia provisoriamente o cargo de presidente. Ele diz que está voltando imediatamente à Paraíba para reassumir o seu cargo. Amadeu Rodrigues e Nosman Barreiro foram eleitos presidente e vice-presidnete da FPF respectivamente em 12 de dezembro de 2014, com 52,85% dos votos, em uma chapa apoiada pela ex-presidente Rosilene Gomes, que tinha sido afastada do cargo meses antes. Eles tomaram posse em 2 de janeiro do ano seguinte. Entretanto, Nosman conta que quatro meses depois os dois romperam relações e, por isso, ele se manteve afastado da entidade. A relação de ambos não era boa há muito tempo. Mas ambos estão em guerra declarada desde o mês passado, quando Nosman entrou com uma ação judicial pedindo o afastamento de Amadeu Rodrigues do cargo de presidente, almejando com isso asumir o cargo em seu lugar.

Redação com globoesportes.com  


Central Vale Notícia
©2015 - Todos os direitos reservados