Conecte-se agora

ESPORTE

Fifa lucra R$ 2,2 milhões com multas aplicadas durante a Copa da Rússia

Publicado

em

Fifa aplicou multas de quase R$ 2,2 milhões (567 mil francos suíços) sobre as federações nacionais por comportamento de seus jogadores, treinadores e torcedores. Mas entidades alertam que ainda existem problemas na legislação no que se refere ao combate à homofobia.

Federico Addiechi, diretor de Sustentabilidade e Diversidade da Fifa, afirmou que o Mundial de 2018 representou o maior programa anti discriminação em uma Copa. Além do monitoramento de todos os jogos por três especialistas, a Fifa contou com a ajuda de um grupo de 50 observadores distribuídos nos estádios para tentar identificar o comportamento de torcedores e jogadores. Os seguranças também foram treinados para lidar com casos de violações.

Para a entidade parceira da Fifa na Copa, a Fare, existia a preocupação de que comportamentos agressivos por parte de torcedores russos se transferissem para a Copa. Mas houve uma ação policial antes do evento e alertas a grupos específicos. Ainda assim, os dados revelam que a maior multa foi aplicada contra a Argentina, pela briga de seus torcedores contra a Croácia: 105 mil francos suíços foram cobrados da AFA (Associação de Futebol Argentino).

Mas, salvo este caso, todas as multas aplicadas sobre ofensas racistas ou de homofobia foram inferiores às violações comerciais. A Suécia, por exemplo, foi multada em 70 mil francos suíços depois que foi descoberto que seus jogadores entraram em campo com meias não aprovadas. Os croatas também pagaram o mesmo valor depois que um jogador entrou em campo com uma bebida que tampouco era de um dos patrocinadores.

Já as multas por outros motivos políticos foram inferiores. Os sérvios foram punidos em apenas 10 mil francos por conta de símbolos fascistas, o mesmo aplicado contra a Rússia por exibir cartaz neonazista.

A Dinamarca foi multada em US$ 20 mil por conta de cartazes com conteúdo sexistas, em uma partida. O México também recebeu multa similar por cantos homofóbicos. O valor ainda se contrasta com os US$ 10 mil cobrados da Federação Russa por conta de um cartaz mostrado no jogo entre Rússia e Uruguai, com um óbvio caráter racista.

Os sérvios também foram punidos por mensagens de cunho fascista. Mas a multa não chegou a US$ 20 mil. Um valor ainda melhor foi cobrado dos mexicanos por conta das brigas da torcida no jogo contra a Suécia.

A mesma Sérvia também foi punida por cartazes com “conteúdo discriminatório” no jogo contra a Suíça. Mas a punição ficou abaixo da multa por violações comerciais, chegando a apenas US$ 54 mil. Seu presidente e seu treinador também foram multados por atitudes não esportivas, tendo que pagar US$ 5 mil cada.

Mesmo os jogadores suíços – Granit Xhaka, Xherdan Shaqiri e Stephan Lichtsteiner – que causaram polêmica ao fazer um gesto simulado a bandeira do Kosovo no jogo contra a Sérvia, resolveram o “problema” com um cheque de US$ 10 mil.

Já o croata Domagoj Vida foi alvo apenas de um alerta depois que ele comemorou a vitória contra a Rússia com gritos de “Ucrânia”, numa provocação política. Questionado, Addiechi defendeu a posição da Fifa, alertando que as multas não são estabelecidas apenas por conta da violação. Conta também se a federação nacional ajudou a identificar quem cometeu os atos. Mas ele garante que “não há espaço para uma declaração política” por parte dos jogadores.

Piara Powar, diretor da Fare, acredita que precisa haver uma maior coordenação entre as punições da Fifa e das entidades regionais. Segundo ele, a Croácia tem sido sancionada de forma repetida pela Uefa nos últimos dez anos. Mas tais punições não contam na avaliação da Fifa ao aplicar uma multa.

HOMOFOBIA

Outro obstáculo, segundo ele, é a questão da homofobia. Powar, em uma coletiva de imprensa com a presença da Fifa, criticou o fato de que o código de disciplina da entidade mundial não traz em suas regras uma referência explícita à discriminação contra gays. “A homofobia não tem o mesmo status que outras discriminações”, criticou.

Ele lembra como a seleção mexicana tem sido punida na Concacaf e na Fifa de forma diferente e alerta que torcedores se aproveitam dessas brechas. Addiechi, na mesma coletiva de imprensa, se defendeu das críticas do parceiro e insistiu que a torcida mexicana abandonou os cantos homofóbicos depois da multa no primeiro jogo. Ele admite que existe um gap no artigo 58 da entidade, que não conta com a palavra homofobia. Mas, segundo ele, os estatutos da Fifa deixam claro que todos os casos de discriminação são inaceitáveis.

Mas mesmo os esforços da comunidade do futebol para realizar eventos sobre a homofobia, em Moscou, tem sido alvo de boicotes. Nos últimos dias, participantes de um evento sobre a homofobia que deve ocorrer nesta semana tem sofrido para fazer reservas em hotéis na Rússia. A Fifa indicou que conhece o problema e que iria seu poder para tentar corrigir os incidentes. Mas a entidade admite que “as coisas não mudam de forma suficiente no mundo”.

ESPORTE

Com ‘lei do ex’ e reação, Santos e Palmeiras empatam clássico no Paca

Publicado

em

Lucas Lima por pouco não levou a melhor no reencontro com a torcida do Santos, mas Gustavo Henrique definiu o empate entre Peixe e Palmeiras, em 1 a 1, no Pacaembu. O clássico foi o retorno das duas equipes ao Campeonato Brasileiro após a pausa para a Copa do Mundo.

Jogador do Santos até o ano passado, ele foi o mais caçado pelas arquibancadas e como troco os provocou ao abrir o placar. Quando o Palmeiras parecia mais próximo de matar o jogo, o zagueiro foi na área para fazer a alegria dos 26 mil santistas no estádio. O empate deixa o Verdão com 20 pontos, a sete do líder Flamengo; o Peixe, com 14, segue na segunda metade da tabela.

Lucas Lima decide…
Elogiado por Roger na quarta, Lucas Lima mostrou de fato outra postura contra o ex-clube. Xingado desde o aquecimento, o meia fez algo raro, entrou na área e assim finalizou a jogada de Willian para colocar o Palmeiras na frente. Na comemoração, cara fechada e mostrando aos santistas o número de sua camisa. O camisa 20 se entendeu bem com Hyoran, Scarpa e o próprio Willian. A movimentação deles confundiu muitas vezes a marcação alvinegra.

…Lucas Lima faz falta?
Sim, os santistas têm muita bronca do agora rival, mas o time com quatro atacantes de Jair Ventura sentiu falta de alguém como ele, que ditasse melhor o ritmo – o reforço Bryan Ruiz ainda não está à disposição, e Vitor Bueno foi cortado do banco, pois vai para o Dínamo de Kiev. O Peixe apostou em lances rápidos pelos lados, mas defendeu-se mal no primeiro tempo. Gabigol perdeu ótima chance, na pequena área, e o placar só não foi pior, pois Alison tirou a bola na linha do gol.

Quem não faz…
O Palmeiras no segundo tempo cansou de desperdiçar contra-ataques. Hyoran, Scarpa e Willian, que foram bem na primeira metade, caíram de rendimento, e o time passou a desperdiçar lances simples. Roger, então, decidiu mudar: tiraria o camisa 28 e o centroavante para colocar Jean e Deyverson. Mas…

Toma!
Enquanto o técnico palmeirense chamava a dupla, Gustavo Henrique fez o Pacaembu explodir ao completar de cabeça após o desvio no travessão para empatar o jogo. Mérito para o Peixe, que ainda teve de segurar uma blitz alviverde no fim: duas defesas de Vanderlei e uma bola na trave. Ufa!

FICHA TÉCNICA
SANTOS 1 X 1 PALMEIRAS
Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data-Hora: 19/7/2018 – 20h
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa/PA)
Assistentes: Helcio Araújo Neves (PA) e Heronildo Freitas da Silva (PA).
Público/renda: 23.572 pagantes/R$ 748.458,00
Cartões amarelos: Léo Cittadini, Rodrygo, Jean Mota e Alison (SAN), Gustavo Scarpa, Hyoran, Antonio Carlos, Deyverson, Felipe Melo e Lucas Lima (PAL)
Cartões vermelhos: –
Gols: Lucas Lima (5’/1ºT) (0-1), Gustavo Henrique (29’/2ºT) (1-1),

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Gustavo Henrique e Dodô; Alison (Léo Cittadini, aos 28’/2ºT), Jean Mota e Rodrygo (Yuri Alberto, aos 21’/2ºT); Gabriel, Bruno Henrique e Eduardo Sasha (Copete, aos 38’/2ºT). Técnico: Jair Ventura.

PALMEIRAS: Weverton; Marcos Rocha, Antonio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Artur, aos 41’/2ºT); Gustavo Scarpa, Hyoran (Jean, aos 31’/2ºT) e Willian (Deyverson, aos 31’/2ºT). Técnico: Ro

Continue Lendo

ESPORTE

Neymar, Alisson, Hazard… Confira o vaivém desta quinta-feira

Publicado

em

 Thomas Tuchel, novo treinador do PSG, não acredita que Neymar seja inegociável e tem a preferência por Mbappe, de acordo com rádio; Alisson, após muitas negociações, assina com o Liverpool e se torna goleiro mais caro da história do futebol e Barcelona pode oferecer Ousmane Dembelé para contratar Eden Hazard
AFP
1 | 19
Neymar (Brasil)
Segundo o programa de rádio espanhol ‘El Transitor’, o técnico do PSG, Thomas Tuchel, não acredita que Neymar seja inegociável e tem a preferência por Mbappe.
(Foto: LUIS ACOSTA / AFP)
2 | 19
Alisson Liverpool
Após alguns dias de negociação e uma despedida por parte da Roma, o goleiro Alisson foi apresentado de forma oficial no Liverpool. Com isso, o brasileiro se tornou o arqueiro mais caro da história do futebol
Divulgação/Liverpool
3 | 19
Eden Hazard
Após grande desempenho na Copa e recusas de renovação de contrato com o Chelsea, o futuro de Eden Hazard no clube londrino segue incerto. Segundo a rádio ‘Onda Cero’, o Barcelona também quer o jogador e estaria disposto a incluir o francês Ousmane Dembélé na negociação
AFP
4 | 19
Continue Lendo

ESPORTE

Em confronto direto no Brasileiro, Vasco e Fluminense ficam no empate

Publicado

em

Na volta do Campeonato Brasileiro para Vasco e Fluminense, na noite desta quinta-feira, em São Januário, depois da parada por conta da Copa do Mundo da Rússia, as equipes ficaram no empate em 1 a 1. O resultado foi ruim para ambos os times de olho na sequência da competição, já que o duelo era um confronto direto para voltar à primeira parte da tabela de classificação. No domingo, Vasco e Fluminense voltam a campo: enquanto o Cruz-Maltino irá receber o Grêmio, o Tricolor visitará o Sport.

VISITANTES MELHORES
Sem os laterais titulares, o Vasco cedeu muitos espaços ao Fluminense no início do clássico. Luiz Gustavo e Henrique não conseguiram substituir bem Rafael Galhardo e Ramon, respectivamente, fazendo com que os visitantes se sobressaíssem em São Januário.

PRIMEIRAS CHANCES
Por conta da facilidade para chegar ao ataque, não demorou muito para o Fluminense Nos dez minutos iniciais, três chances de Jadson, Pedro e Marcos Junior, com Breno e Martin Silva sendo fundamentais para que o placar se mantivesse sem gols contra a equipe do Vasco.

EQUILÍBRIO
Os minutos finais do primeiro tempo e os iniciais da etapa final foram de equilíbro entre Vasco e Fluminense. A pressão inicial do Tricolor já havia diminuído e o Cruz-Maltino passou a controlar mais a bola, fechando os espaços e dando opções para melhorar na parte ofensiva.

SEGUIU A BATIDA!
Depois de melhorar ofensivamente, o Vasco conseguiu seguir a batida e abrir o placar. Aos 15 minutos do segundo tempo, Andrés Rios aproveitou rebatida de Júlio César e estufou as redes, fazendo a festa dos mais de 11 mil torcedores cruz-maltinos que foram acompanhar no estádio.

EMPATE NO FIM!
O Fluminense, atrás do placar, não desistiu do jogo. Se arrumou e foi novamente ao ataque, tentando o empate a qualquer custo – até que conseguiu no fim, aos 44. Marcos Junior achou Pedro que passou sem problemas por Breno e mandou para o gol. Fim de papo, 1 a 1, resultado justo pela partida, mas ruim para os dois na sequência da competição. Com o apito final, os vascaínos chegaram a vaiar, com gritos de “burro” ao técnico Jorginho.

FICHA TÉCNICA
VASCO 1 X 1 FLUMINENSE

Data-hora: 19/7/2018 – 20h (de Brasília)
Estádio: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (SP)
Auxiliares: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
Renda/público: R$ 242.405,00/11.381 pagantes
Cartões amarelos: Leandro Desábato, Wagner, Luiz Gustavo, Andrés Rios, Ricardo Graça (VAS) e Dodi, Jadson (FLU)

GOLS: Andrés Rios 15’/2ºT (1-0) e Pedro 44’/2ºT (1-1)

VASCO: Martin Silva, Luiz Gustavo, Breno, Ricardo Graça e Henrique; Leandro Desábato, Andrey, Yago Pikachu, Giovanni Augusto (Kelvin 24’/2ºT) e Wagner (Evander 33’/2ºT); Andrés Rios (Bruno Silva 43’/2ºT). Técnico: Jorginho.

FLUMINENSE: Júlio César, Léo, Digão, Gum e Ayrton Lucas (Marlon 43’/2ºT); Jadson, Richard, Dodi (Matheus Alessandro 17’/2ºT) e Sornoza (Pablo Dyego 29’/2ºT); Marcos Junior e Pedro. Técnico: Marcelo Oliveira.

Continue Lendo

ARMAZÉM PARAIBA

LG NET

ASSEMBLÉIA DA PARAIBA

JORNALISMO VERDADE

MERCADINHO ALVINO

CEMACO DE DR MARCINHO

JORNAL DA BOA NOVA FM

TV CVN: A TV DO VALE DO PIANCÓ

Em Alta

Hospedado por ServerPro